Os paradoxos da era do consumo

Sabemos que a Web 2.0, do ponto de vista estético, traz consigo uma avalanche de elementos gráficos caracterizados por gloss, volume, shapes ou vetores multi-coloridos e sombreados, 3D, aqua, etc. Sabemos também que essas mudanças visuais não se deram por conta própria, mas sim por uma sugestão comportamental dos usuários e suas atividades entre si. E justamente as atividades entre si nos trouxeram as plataformas colaborativas online.

Essas plataformas mostram aos usuários, que eles têm o poder de gerar conteúdo relevante ou não na rede. E voilà, temos os Blogs em fase ascenção. (Atualmente o Brasil é o 4º país onde mais se lê blogs).

Mas a constante adaptação do comportamento online nos traz mais serviços que podem ou não agregar valor as nossas vidas. A rotina frenética que vivenciamos atualmente na internet faz com que os usuários tenham um interesse maior nas informações curtas e objetivas, pois se adaptam ao seu estilo de vida corrido. E nesse cenário entram os micro-blogs.. Twitter… Uma plataforma paradoxal; pois ao mesmo tempo tem um foco centralizador, sendo um RSS Reader, é um potencial disseminador, não é à toa que empresas de segmentos variados estão o adotando em suas campanhas.

Aqui fica bem explícito que a internet ao longo de sua existência sempre foi alvo de muitas mutações, sempre se adaptando a novas realidades. Mas enfim, não vamos falar de Twitter, e sim do que nosso comportamento online nos trouxe.

Vivemos declaradamente na era da informação, onde todos geram conteúdo o tempo inteiro para que outrem leia. As pessoas se veem como “estrelas virtuais” no grande “palco” que é a internet; querem ser relevantes, querem escrever, ler e disseminar sobre os mais diversos temas. Com isso temos outro fenômeno que costumo chamar de “Depressão ocasionada por consumo”.

As pessoas consomem o máximo de informação possível, até que isso se torna um vício, e de repente se deparam com outro paradoxo. Quanto mais consomem, menos absorvem. Claro que isso não é para todos. O poder de absorção é particular de cada indivíduo, mas conheço diversas pessoas que consomem informações na web, acham que sabem tudo e 72 horas mais tarde entendem que o conteúdo assimilado pode ser descartado, pois a informação na web já triplicou em relação ao que eles aprederam. Esse ciclo leva a sensação de que quanto mais se tenta, menos se consegue. E uma depressão ocasionada por consumo se encaixa muito bem nesse momento.

A questão que gostaria de levantar é: Você já teve essa visão sobre plataformas de buzz como Twitter, Facebook, entre outros? Você compreende que indiretamente, elas favorecem essa depressão ocasionada por consumo? E que a convergência de mídia é um fato? 😉

Comments (5)

  1. Mandou bem Victor!!!…O mundo é tão consumista…que se viciou até consumir informação!! Só é preciso aprender como usar tanta informação. E é claro saber selecionar as que realmente são relevantes e que realmente acrescentem….rs…ohh dilema??!! bjs

  2. A quantidade e a velocidade das informações são tão grandes que na maioria das vezes quando achamos que “dominamos” a situação…já era, já mudou de novo. isso que você chama de “depressão” se faz por um conjunto de frustrações acumuladas pela ânsia de consumir informações X a incapcidade de acompanhar o ritmo/velocidade delas…parabéns pelo texto. gostei! bjs

    • Oi Carla,
      Perfeita a sua colocação sobre essa depressão: “.. se faz por um conjunto de frustrações acumuladas pela ânsia de consumir informações X a incapcidade de acompanhar o ritmo/velocidade delas..”
      😉

      Bjs.

  3. Fala ae meu camarada…
    Concordo inteiramente com o seu post, foi feliz em sua colocação.

    Eu por exemplo estou na faculdade, faço curso de inglês, faço estágio e faço curso da minha área aos sábados. Ufa! Será que dá tempo para respirar? Que nada! Já estou estudando a possibilidade de englobar mais um curso nesta minha “querida” rotina rs

    Se a minha área já pede para ser especializado, imagino a sua que muda diariamente. Somos abençoados de estudarmos o que gostamos, pode mudar o que for, mas sempre estaremos tendo o prazer de aprender. Fica aí minha mensagem positiva sobre o tema

    Abraços

    • Fala meu amigo!

      Obrigado pelo elogio e acrescento que também fostes feliz em sua conclusão. Que no fim das contas, independente da situação, nós temos sorte, pois estudamos aquilo que gostamos, é um prazer contínuo.

      Abs!

Leave a Comment

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>